E- Book - Dieta Mediterrânea

E- Book - Dieta Mediterrânea
Clique aqui e adquira o E- Book

Brasil o país que menos desmata no Mundo !!!




Brasil o país que menos desmata no Mundo !!!



Nossa Agricultura está entre as 05 mais produtivas do mundo por hectare! Sendo milho e soja os mais produtivos do mundo por hectare! (dados da NASA!!!)

Usamos 7,6% do nosso território em cultivo de alimentos ( isso sem falar que 11% desse montante está para a cana que produz Álcool Combustível e 12,3 % para a Pecuária de Corte) trocando em miúdos só 76,7% de 7,6% que é 5,83% alimentamos o Brasil e o Mundo!

E Porque? só plantamos neste pequeno percentual de terra se 65% do nosso território, isto é de 8,5 mil de km² possuímos 800 milhões de hectares plantáveis, de novo...Por quê, só isso?

O total de áreas protegidas, como Unidades de Conservação (UCs) e Áreas de Proteção Permanente (APPs), representa outra parcela de 228,7 milhões de hectares, quase 30% do território nacional. Somadas, áreas preservadas (em propriedades privadas) e áreas protegidas somam 403 milhões de hectares, 47,4% do País. Os números comprovam: são 177 milhões de hectares preservados dentro das propriedades rurais, o que representa 48% do total de áreas que as fazendas ocupam, ou 20,5% de todo o território do País. Esse dado considera áreas preservadas exclusivamente nas propriedades privadas, inscritas no Cadastro Ambiental Rural (CAR).

As conclusões são da analista de geoprocessamento da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Territorial Lucíola Alves Magalhães, autora do trabalho “A dimensão territorial da sustentabilidade da agricultura brasileira”. Ela lembra que a produção rural preserva mais a vegetação natural (20,5% do território) que todas as unidades de conservação oficiais (13%).

" Lucíola destaca que 4,3 milhões de produtores rurais já aderiram aos mecanismos de proteção, como implantação de Áreas de Proteção Permanente (APPs) e reservas legais. Isso resultada em nada menos que 1,5 milhão de nascentes mapeadas e georreferenciadas, sobre as quais é possível, atualmente, realizar o acompanhamento remoto ou no local. Lucíola destaca também a importância do programa “Plantadores de Rios”, que tem estimulado produtores rurais a reforçar ações na conservação do meio ambiente e, assim, preservar os recursos hídricos.

Entre os destaques apontados no estudo está a fragmentação das áreas de conservação, que é menor do que inicialmente projetado, com boa interconexão com sistemas hidrológicos e interligando diferentes biomas. “Esses dados comprovam que o Brasil tem muito cuidado com a preservação, que o País tem preocupação com o meio ambiente”, diz a analista da Embrapa.

Lucíola destaca que o Brasil tem apenas 16% da produção agrícola proveniente das áreas cultivadas sob regime de irrigação, frente 40% da média mundial. Isso significa que há espaço para ampliar a agricultura irrigada em áreas que já são atualmente utilizadas, aumentando a eficiência dos recursos hídricos e a colheita. Ela cita exemplos e ressalta que, em média, a irrigação aumenta a produtividade em 55% no caso do algodão e 189%, no café. A boa gestão do uso do solo e da água, afirma Lucíola, são fatores que permitem ao Brasil obter até três safras de uma mesma cultura por ano. “Nós conseguimos assegurar a produção e otimizar o uso da terra”, diz. “Se falamos em agricultura sustentável, a agricultura faz parte dela”, conclui."

Luciola Alves Magalhães, Analista da Embrapa em entrevista à revista Globo Rural (21/03/2018) - Por Ayr Alisky, Brasília/DF

Esses dados comprovam que o Brasil tem muito cuidado com a preservação, porém a Iniciativa do Agronegócio sempre foi podada e impedida pela Indústrias de Multas e de Estudos de Impacto, mal formulados e de intenções duvidosas! Existem muitas áreas que requerem cuidado dobrado e outras que com um manejo sustentável de ponta podem produzir e conservar a Biodiversidade do Bioma !

Apesar da grande importância econômica que o Agronegócio traz, ele ainda é visto pelo Grande Público e pela Imprensa Vermelha, com uma certa precaução por conta do impacto ambiental que o mesmo poderia causar, como desmatamento, perda de biodiversidade, contaminação da água e degradação do solo. Em muitos casos, fatos negativos acontecem porque algumas empresas acabam passando por cima da legislação ambiental por visarem lucro e desenvolvimento imediatos. Isso é uma balela, uma mentira criada por Governos passados que junto com ONG's Nacionais e Internacionais fajutas travestidas de "Protetoras do Meio Ambiente" usavam o IBAMA e o Instituto Chico Mendes, o ICMBio MMA criaram uma legislação leonina e impraticável em relação à ampliação sustentável de novas áreas de cultivo e plantio.

Hoje, o território nacional dispõe de mais de 800 milhões de hectares plantáveis, sendo que desses apenas 10% são utilizados para o agronegócio. Outros dados apontam que, nos últimos 15 anos, a área plantada cresceu em apenas 10%, enquanto a produtividade cresceu em cerca de 150%. Ou seja, com a mesma extensão em terras, conseguimos produzir muito mais tanto para o mercado interno quanto para as exportações e, com isso, o Brasil passou a ser exemplo de produção sustentável.

Resumidamente, podemos dividir o Agronegócio em cinco etapas: Insumo à produção – Agricultura e Pecuária – Agroindústria – Distribuição – Consumidor Final. E nestes saliento a Agroindústria que ainda é relativamente pequena no Brasil, mas com um bom fomento e investimentos poderia sozinha combater metade do desperdício da produção agrícola no Brasil ( Hoje 25% do que é produzido) Através da reutilização e industrialização da safra excedente ou de safra imprópria para comercialização, porém própria para consumo...exemplos...Indústria de Hortifruttis processados (Enlatados e TetraPak, Geleias, Doces, Compotas, Conservas, Bebidas, Molhos, Extratos, Purês, sopas e etc...) Moinhos, Indústrias Agromanufaturas, óleos alimentícios e Industriais, Alimentos desidratados ou Liofilizados, Insumos animais, Rações, Adubos Orgânicos - Organizadas e Implantadas nas próprias Zonas produtoras, evitando perda e gastos no transporte de produtos que deverão ser descartados em sua origem de entrega, isto é, tirando da conta mais um custo elevado e só transportando o melhor para os mercados consumidores e para Exportação! E Principalmente gerando empregos industriais ao "Homem do Campo"

Lembrem-se que o êxodo rural causado pelas faltas de condições de uma vida digna no campo "incha" os grandes centros urbanos e causa principal da desigualdade social no Brasil, se estudar a fundo os maiores problemas e dificuldades durante décadas na nossa formação como Sociedade foram causadas por este fenômeno, pois bem a Indústria Agrícola pode converter ou inverter um "tumor" que mina e dissolve as classes mais pobres do país, sem falar que fomentar a Industria Cooperativada e familiar (ou Não!) no campo custa muito menos que fomentar na cidade (Zona Urbana) e trazendo progresso a lugares que muito precisam...PENSEM NISSO!!!

Por isso tudo que estes falsos ambientalistas propagam é pura mentira! Eles não estão preocupados com o Meio Ambiente e sim com os números que mostrei acima, pois a verdadeira intenção dessas pessoas é retardar o Desenvolvimento da Nação e não deixar o Brasil decolar! Servindo de massa de manobra para grandes corporações mundiais de proteção que dependem de doações milionárias e de fomento governamental... E mesmo assim, com tudo isso observamos cada dia mais o Agronegócio avançar!!!

Não sou leigo no assunto escrevo sobre Sustentabilidade em Cozinhas há mais de 15 anos e sou um pesquisador árduo e apaixonado por esse assunto! Cozinhas ecologicamente Corretas precisam de uma Agricultura Sustentável e a Conservação da Biodiversidade, um Manejo sustentável pró-ativo e de uma Sociedade Sustentável Organizada aonde prezem as comunidades rurais mais necessitadas de uma forma de Desenvolvimento Sustentável tanto relativo aos meios de produção quanto seus meios de vida autossustentáveis e não tratá-los como uma mera subvenção governamental...

Nos últimos anos, entretanto, esse cenário tem mudado no Brasil ,com o país passando a ser exemplo no chamado Agronegócio Sustentável.

Quem excede deverá ser punido pela Lei, com certeza, mas deve ser dado a chance de algo ser feito e não podado...ou proibido antes de mostrar resultados (bons ou Ruins). Fiscalização é para fiscalizar, coibir e educar e não somente proibir e multar!

No Vídeo abaixo produzido pela Rural Business, que já faz um trabalho de ponta há 28 anos, mostra e compara os demais terrenos plantados no mundo tanto na Europa Ásia e USA e comprovam sobre o que estou falando !!!


Ósculos e Amplexos Condimentados pra todos

Chef Paulinho Pecora - 20 de abril de 2019.


Comentários

Postagens mais visitadas

Postagens mais visitadas